Campanha “Existe Amor em SP” leva acolhimento para pessoas em situação de rua

Parceria entre Retalhar e Instituto Ninho Social distribui máscaras e cobertores feitos a partir de resíduos têxteis

Líderes mundiais e especialistas da área de saúde afirmam que a chegada do inverno pode ser um período de maior disseminação do novo coronavírus e que as populações vulneráveis socialmente, como aquelas em situação de rua, serão afetadas de forma mais severa. Ao mesmo tempo, dados oficiais revelam aumento da desigualdade social e que até mesmo em cidades ricas, como São Paulo, o número de pessoas vivendo nas ruas é significativo. Por isso, em uma parceria, a Retalhar e o Instituto Ninho Social lançaram a campanha “Existe Amor em SP”. A ideia é distribuir máscaras de tecido e cobertores para a população vulnerável a partir da reciclagem de resíduos têxteis.

Período de inverno não é igual para todos

No Brasil, o inverno se inicia no final de junho e acaba no final de setembro, sendo o período mais frio do ano. Em São Paulo, quando é mais rigoroso, ele pode chegar à temperatura recorde de -2,1ºC. Isso não seria um problema se todas as pessoas tivessem como se aquecer dentro de suas residências. Mas, segundo dados da prefeitura de São Paulo do ano de 2019, há 24.344 pessoas em situação de rua, onde o frio é mais intenso. 

Desigualdade exacerbada pela chegada do novo coronavírus 

De acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a COVID-19 exacerbou as desigualdades nacionais e criou novas disparidades que estão atingindo as pessoas mais vulneráveis de forma mais severa, como aquelas que vivem nas ruas. 

Nesse sentido, a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) da ONU, Carissa F. Etienne, alertou que a preparação para o inverno é fundamental para que todos latinos-americanos possam mitigar a disseminação do novo coronavírus, sejam pessoas que vivem nas ruas ou que habitam residências. Segundo Etienne, o inverno “alimenta infecções respiratórias – como influenza sazonal e pneumonia – que podem se espalhar rapidamente em climas mais frios e à medida em que mais pessoas se reúnem em ambientes fechados para se aquecer”.  

Propondo soluções para esse cenário, a  líder técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a COVID-19, Maria Van Kerkhove, afirma que há formas de prevenir a si mesmo da infecção e de evitar a transmissão do vírus para outras pessoas. Além de se manter bem informado, segundo ela, é preciso fazer o que muitas pessoas já sabem: lavar as mãos, praticar o isolamento social e usar máscara de proteção. 

Campanha “Existe Calor em SP”

Pensando no inverno da população que habita as ruas, a Retalhar e o Instituto Ninho Social – organização que atua com pessoas em situação de vulnerabilidade  –  lançaram a campanha “Existe Calor em SP”. A parceria, que conta com o apoio da Cotton Move e Souza & Campos, está transformando resíduos têxteis em calor e acolhimento para a população em situação de rua: são confeccionadas máscaras de tecido e cobertores que são doados ao longo do inverno de 2020. Para saber como você pode colaborar com essa campanha, dê uma olhada no endereço: https://www.projetoatalho.com.br/existecaloremsp.

Além disso, há oportunidade de engajamento para empresas: aquelas que contratarem o serviço de destinação correta, segura e responsável de uniformes com a Retalhar durante o mês de Julho também poderão contribuir para o combate ao frio e à COVID-19 nas ruas paulistanas aderindo ao Pacote Solidário, com condições especiais para que o impacto social positivo seja ainda maior.

Contribuímos para alcançar os seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: