Doação: solução ou problema?

Apesar das boas intenções, uma doação sem as devidas precauções tende a causar problemas a doadores e receptores. Entenda como.

No post anterior, vimos que toda forma de reaproveitamento de resíduos está de acordo com a legislação, exceto no chamado aproveitamento energético, mais conhecido como coprocessamento ou coincineração. Esta só é uma alternativa válida quando impossível a reutilização ou a reciclagem do material em questão – geralmente quando o uso dos uniformes os deixou contaminados, tornando-os resíduos perigosos. 

Quando se trata do uniforme, então – a camisa que o seu colaborador veste – há outros cuidados a serem tomados. Uma simples busca no google não deixa dúvidas: o descarte irresponsável pode colocar em risco não só os seus clientes, mas também seus colaboradores, patrimônio material e até mesmo a reputação de sua marca. 

Além dos frequentes casos de pessoas mal intencionadas, o buraco é mais embaixo. Pergunte ao responsável pelo marketing de sua empresa como ele se sentiria se viralizasse nas redes sociais um vídeo de um folião desinibido em pleno carnaval usando seus uniformes? O mesmo poderia acontecer com imagens de pessoas trabalhando em condições degradantes, mesmo que sem qualquer tipo de má intenção. Provavelmente essas situações pediriam bastante atenção dos que zelam pela imagem da marca.

“Ok, mas eu doo meus uniformes para uma ONG que descaracteriza antes de vender em um bazar.”

Aí entram as perguntas, sábias companheiras de nossas tomadas de decisão: e depois disso, fazem o quê? O bom doador está sempre seguro sobre esta resposta e tantas outras. Para quem isto é útil? O que farão com isso? Em que quantidade precisam? E se eu doar mais do que precisam, o que será feito? Tudo está em condições adequadas para o uso?

Na Retalhar é comum sermos procurados pelos bazares de ONGs que pedem ajuda por terem recebido um volume gigantesco de uniformes e, sem ter onde colocar, buscam alguém que os receba. Este é um exemplo de caso em que, com a melhor das intenções, o doador acaba terceirizando sua responsabilidade. Por sermos uma empresa – de impacto socioambiental, sim, mas ainda uma empresa – nós prestamos este serviço: destinação segura e correta de todos os seus uniformes. Não podemos aceitar doação, já que temos um compromisso com todos os nossos clientes de que seus uniformes serão integralmente descaracterizados antes de qualquer reaproveitamento, e isso representa, naturalmente, um custo, além de diversos aspectos técnicos e do mercado que tornam esse tema ainda mais complexo. Nossa estrutura foi montada para sermos o destino dos seus uniformes.

Doação: há algo além da boa ação

Falando em terceirização de responsabilidade, aqui você poderá ver um pouco mais a fundo como este tipo de situação afeta pessoas e ecossistemas mundo afora. É uma situação extremamente relevante e que requer a atenção de toda a sociedade para compreender como nossos impulsos e desperdícios afetam todo o planeta. Se for doar, que não seja para “se livrar” e sim para contribuir com o próximo – nem mais nem menos!

Contribuímos para alcançar os seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: